Faça uma simulação online!

Pedidos de portabilidade para convênios médicos crescem cerca de 50% no país: entenda como mudar para a SLAM!

Em 2021, a procura por informações para trocar de plano de saúde bateu recorde. Segundo dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) as consultas de usuários sobre a portabilidade de convênios médicos aumentaram 50% entre janeiro e abril deste ano em comparação com o mesmo período de 2020.

Foram mais de 122 mil registros de consultas sobre o tema na ANS, quase 40 mil a mais que no ano anterior (83.081). Outra pesquisa da ANS realizada em agosto deste ano mostrou que o número de consultas já havia pulado para  206 mil  em poucos meses.

Isto é, essa busca bateu recorde e segue crescendo no Brasil. Dentre os possíveis motivos para o acréscimo de pesquisas sobre portabilidade de convênios médicos está a tentativa da população de reduzir custos com a assistência médica e a necessidade de contar com planos melhores.

Especialistas da área avaliam como positivo o interesse dos consumidores na busca pela portabilidade. Isso porque essa pesquisa indica que as pessoas estão atentas aos serviços prestados e estão atrás de seus direitos.

Mesmo que seja necessário reduzir o custo com o plano médico, que seja para um convênio mais barato, mas também de qualidade. Outro motivo que explica a alta na procura é que a portabilidade de convênios é um assunto que gera muitas dúvidas.

Muitas vezes, é algo burocrático que até assusta os beneficiários que estão tentando entender melhor sobre este processo. Na realidade, a portabilidade deve ser algo simples de ser feito, para facilitar o acesso à saúde das pessoas.

Entenda as regras para realizar portabilidades de convênios médicos e como solicitar este procedimento para as operadoras de saúde.

Portabilidade de convênio médico: o que você precisa saber sobre

Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar, a portabilidade de carências é um direito garantido a todos os beneficiários de planos de saúde contratados a partir de 01/01/1999 ou adaptados à Lei nº 9.656/98O. 

Este direito é garantido a todos os modelos de contratação, seja planos de saúde individuais, coletivos empresariais ou coletivos por adesão. O consumidor que quiser fazer a portabilidade deve seguir algumas regras, como estar com o contrato ativo e em dia com as mensalidades. 

Além disso, o plano de destino deve ter preço na mesma faixa do atual e o prazo mínimo de permanência deve ser cumprido. Vale ressaltar que não há cobrança de multas ou outras exigências por parte do plano de que o consumidor está saindo.

Há ainda situações específicas, em que não é exigida a compatibilidade de preço ou o cumprimento do prazo de permanência no plano, como em casos da morte do titular, cancelamento do contrato, falência da operadora, entre outros. 

Sobre o prazo de permanência, confira como funciona: 1ª portabilidade: 2 anos no plano de origem ou 3 anos se tiver cumprido a Cobertura Parcial Temporária (CPT) para uma Doença ou Lesão Preexistente.

2ª portabilidade: neste caso, se o beneficiário já tiver feito portabilidade antes, o prazo de permanência exigido é de pelo menos 1 ano; ou de 2 anos caso tenha feito portabilidade para o convênio atual com coberturas não previstas no plano anterior.

Para solicitar uma portabilidade é simples: o consumidor deve escolher o plano que deseja e emitir o protocolo de Relatório de Compatibilidade. Depois, ele precisará procurar a operadora com toda a documentação exigida e solicitar a proposta de adesão.

A operadora dará a resposta em alguns dias. O processo foi simplificado para facilitar o entendimento, mas a ANS disponibiliza uma cartilha com todas as informações completas sobre o tema para orientar sobre prazos e critérios para realização da portabilidade. 

Sendo assim, caso haja alguma particularidade de funcionamento na operadora do plano de saúde atual, a pessoa pode analisar essa cartilha atrás de respostas. Se o objetivo é mudar para a SLAM, o procedimento é muito mais simples.

Portabilidade de convênio para SLAM: entenda como funciona

A pessoa que identificar o desejo de realizar a portabilidade para convênios da SLAM pode realizar este processo de maneira mais simples: entrando em contato com a operadora para entender todos os detalhes do procedimento.

O consumidor pode seguir todo o processo citado anteriormente, mas se tiver alguma dúvida, terá nosso atendimento especializado disponível para explicar tudo que precisa ser feito, quais documentos são necessários e as normas de portabilidades exigidas pela ANS.

Além disso, a equipe explicará dados sobre carência, coberturas e outros detalhes que dependem de cada caso. Sendo assim, para fazer uma portabilidade para SLAM, as pessoas têm um amplo apoio profissional para que todo o processo seja o mais rápido e tranquilo possível.

Na SLAM, a principal prioridade é a saúde e bem-estar dos beneficiários, então, os consumidores podem ter total confiança de que serão bem tratados e terão uma excelente rede credenciada pronta para lhes atender.

Caso tenha mais alguma dúvida, entre em contato conosco!

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

SLAM – SANTA LUZIA ASSISTÊNCIA MÉDICA S/A – CNPJ: 36.751.634/0001-23

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência e segurança em nosso site.